Contos de graça no natal

dezembro 23, 2016

Está de graça, na Amazon, o livro que incluí no site, em setembro, para disputar um prêmio de literatura (que não ganhei). O site da Amazon não permite que os livros fiquem de graça mais de cinco dias. O livro está de graça, então, neste link, entre 24 e 28 de dezembro. Depois disso, volta a custar R$ 2,00.

O texto é a história de amor entre uma estudante de matemática sem escrúpulos e um estudante de letras sem dinheiro.

Além disso, juntei em PDF (em um formato que cabe em telas pequenas, como a do kindle), meus contos do fundo da gaveta. Eles são razoavelmente engraçados e ficarão de graça, em PDF, para sempre.

Se a Amazon continuar com zero hits, o texto de lá também vai acabar aqui, em PDF. Achei que, na Amazon, o texto seria mais marquetado ou teria mais visibilidade que no meu próprio blog. Ilusão, é claro.

Já me disseram que, se quiser ser lido, tenho que criar um perfil no Facebook. Mas ler e escrever contos é o oposto de ler perfis e abobrinhas rotineiras (ou é minha antipatia por redes sociais que realmente me impede de fazer isso).

Para quem quiser, então, boa leitura.

ovelha

Ovelha caçada por Murakami que gostou dos contos (a ovelha, não o escritor).

O apocalipse é hoje!

abril 27, 2009

Sinopse de filme surreal do tipo “o apocalipse é hoje”

Uma grande crise leva à falência os maiores bancos de Estados Unidos, Inglaterra, Suíça etc. As pessoas começam a juntar dinheiro, antecipando uma temporada de caos econômico. Os preços de tudo começam a cair. Políticos e participantes do BBB aparecem na TV dando declarações evasivas sobre a crise. Os primeiros liberam trilhões de dólares para socorrer bancos e empresas (que não param de demitir funcionários). Os segundos dizem que, se ganharem um milhão de reais, não precisarão se preocupar com isso.

Para completar, grandes chuvas, tufões e terremotos italianos começam a dar a impressão de que alguma coisa está errada com o clima – e não só com ele.

Uma nova praga, conhecida como gripe porca, ameaça se espalhar pelo mundo e políticos populistas dão declarações bombásticas sobre doença – enquanto posam para fotos fingindo que se esforçam para contê-la.

Uma seita de profetas do apocalipse começa a pregar que todos devem cavar grandes abrigos para se proteger da crise (sem explicar como o cavar abrigos vai adiantar alguma coisa). Uma seita concorrente anuncia na TV que a solução é mudar de planeta (e recomenda Plutão).

Um terceiro grupo, os Adoradores da curva do sino, diz que o fim do mundo é altamente improvável (pois não há nenhum registro de que algo assim já tenha acontecido).

As chuvas aumentam e mais dois bancos vão à falência. 

As seitas começam a crescer – só não crescem mais por causa da gripe porca – e a idéia de cavar abrigos para se proteger começa a parecer uma boa alternativa.

 

Peste - Museu de antropologia (fechado até o fim da epidemia) - Cidade do México

Peste - Museu de antropologia (fechado até o fim da epidemia) - Cidade do México