Por que o Brasil era um país sem direita e agora não é mais?

junho 5, 2015

A primeira parte da resposta é: o Brasil não tinha direitistas declarados porque é difícil ser abertamente conservador em um país onde é consenso que as coisas vão mal.

Conservar o país desse jeito? com desigualdade alta, escolaridade baixa e privilégios descarados? Até para quem achava que sim, era difícil dizer em voz alta.

Além disso, havia a memória dos tempos da ditadura que, sim, era conservadora e, sim, usou métodos no mínimo ilegais para preservar o status quo. Também difícil de defender.

Mas, de alguns meses para cá, a redução da maioridade penal, a liberação do uso de armas de fogo e todo um pacote na linha “uso da força” ganhou espaço na imprensa e no Congresso.

Por que agora?

O primeiro motivo é o governo. Depois de engolir toda a oposição que pudesse ter à sua esquerda, o governo só deixou espaço à direita para seus críticos.

Alguém sabe onde anda o PSOL? Da última vez que vi um deputado de lá, ele estava fazendo campanha política para a candidata Dilma Roussef.

Depois de abraçar – ou engolir – a maior parte dos grupos tradicionalmente de esquerda, o governo se desmoralizou completamente. Ele fez o contrário do que prometeu na campanha e ainda foi flagrado em esquemas de corrupção que são mais do que “malfeitos” constrangedores (são crimes).

Surgiu então espaço para a mistura de medo e raiva que anima um ultra-conservador.

Medo da violência (mas ela aumentou?) medo da crise, medo de qualquer coisa.

E a solução “prendo e arrebento” voltou a ser defendida em voz alta pelos antes acanhados “não esquerdistas” – que não tinham coragem de assumir seu lado “uso da força”.

Se seguirem desse jeito, as coisas não vão acabar bem.

O governo, desmoralizado como está, não vai se levantar mais. Nem deveria. Dezesseis anos no poder é tempo demais para qualquer grupo.

Mas tem que haver alguma alternativa razoável, alguma oposição que não queira prender adolescentes em presídios para adultos e dizer que isso resolve algum problema.

Fiquei feliz em ler (em uma nota discreta de jornal) que a Rede, de Marina Silva, vai finalmente ser aprovada pelo TSE. Espero que cresça e que surjam outros grupos de oposição não raivosa e não conservadora – porque agora, como antes, as coisas não estão bem – e é pouco razoável ser conservador (pró governo ou contra) em um país onde é consenso que as coisas vão mal.

"Não importa o governo, eu quero defender os valores cristãos e o Eduardo Cunha!"

“Não importa o governo, eu quero defender os valores cristãos e o Eduardo Cunha!”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: