Peleguismo máximo

março 13, 2015

Não existe protesto a favor. Protesto, por definição, é contra. As manifestações/passeatas/o que quer que seja que CUT, MST, Mídia Nínja e outras organizações governistas fizeram hoje foram, no fim das contas, uma constrangedora aula de peleguismo.

Onde já se viu, no meio de uma crise econômica, centrais sindicais convocarem um evento para apoiar o governo?

O evento, pelo menos, foi um fracasso completo, com poucos milhares de pessoas arregimentadas ao redor do país. O lugar que mais juntou gente foi São Paulo, onde o protesto/encontro/chá da tarde coincidiu com a passeata dos professores estaduais em greve.

Agora é esperar para ver o tamanho dos protestos contra o governo, no próximo domingo.

São Pedro, que é oposicionista, boicotou os sindicalistas pelegos (e promete ajudar os manifestantes anti-Dilma).

Eu, que já fui aos protestos de 2013, vou ficar em casa vento tudo pela TV (mas sem som, porque que os comentaristas de passeata são piores que os de futebol).

Depois que – mesmo com passeatas de meio milhão de pessoas – Dilma, Alkmin, Pezão e afins foram reeleitos, simplesmente não acredito mais que manifestantes consigam qualquer coisa aqui na terra dos papagaios.

Manifestante pelego - satisfação com o governo em crise.

Manifestante pelego – satisfação com o governo em crise.

Anúncios