Alckmin, o ditador sem causa

outubro 9, 2013

É estranho usar a lei de segurança nacional contra manifestantes de rua (que não ameaçam a segurança nacional). Mais estranho ainda é usa-la em um período de democracia.

Quando mandou autuar os manifestantes na lei da ditadura, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, se esqueceu do básico: os militares usavam a LSN porque não precisavam de votos. Se dependessem de aprovação popular para se manter no poder, jamais teriam adotado a dita cuja.

O destino de Alckmin, graças a ele mesmo, será igual ao de Sérgio Cabral: a repulsa da população (que se traduz em perda de votos).

O PSDB, partido de Alckmin, faria bem se escolhesse outro nome para concorrer às eleições de São Paulo ano que vem. Alckmin vai ter contra ele as balas de borracha da polícia (disparadas no olho de uma repórter da Folha de São Paulo, há três meses) e o uso da lei de segurança nacional. Tudo visto e revisto no horário de propaganda eleitoral gratuita.

A oposição vai poder chama-lo de fascista sem medo de estar exagerando.

Anúncios

Uma resposta to “Alckmin, o ditador sem causa”

  1. Rodrigo said

    A LSN não tem o mesmo caráter que havia na ditadura,
    até porque depois de 1988 ela foi modificada, ela foi necessária já que as manifestações começaram a virar depredação e violência. Cabral não chegou nem perto de usar uma lei com esse caráter.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: