“A inflação já voltou”

abril 13, 2013

Repórteres pouco curiosos – que não fazem questão de entender as declarações que reproduzem – transformaram os cadernos de economia na parte mais chata do jornal.

Para recuperar a sinceridade desse tipo de notícia e deixa-la minimamente interessante, fizemos uma pagelança e trouxemos, do além, o fantasma de Nelson Rodrigues. Pedimos ao fantasma para entrevistar o ministro da Fazenda e ele concordou, com a condição de que fosse uma entrevista fictícia.

A entrevista então foi feita há meia-noite de ontem em um terreno baldio de propriedade do grupo EBX e teve como testemunha uma cabra vadia. O ministro concordou em responder de forma sincera a todas as perguntas e pediu apenas que a cabra testemunha fosse neo-novo-keynesiana e tivesse mestrado na Unicamp.

Fantasma de Nelson: A inflação está voltando?

Ministro: Já voltou. Nós estamos cortando impostos sobre a luz e outras coisas só para disfarçar, mas a oferta não cobre mais a demanda e isso quer dizer inflação acelerando.

FN: A culpa é do tomate?

M: Eu aprendi isso com o Delfim Netto: quando a inflação sobre, é melhor pôr a culpa em alguns produtos, dizer que ela não seria tão alta assim se não fosse por eles. Tirando os itens que subiram, a inflação parece sempre menor…

FN: É como a história do quiabo, na época da ditadura?

M: Sim. É isso mesmo. Preferimos dizer que é um problema pontual, embora 70% dos produtos do IPCA tenha aumentado.

FN: A economia também está crescendo pouco.

M: Dilma perguntou ao Delfim e ao [Luiz Gonzaga] Belluzzo o que fazer. Nesse caso, eles disseram que era melhor atirar no mensageiro: culpar o IBGE. Belluzzo disse para fingir que a economia vai bem e dizer que o IBGE não mede direito.

FN: Mas adianta ficar fingindo? A população não vai notar?

M: Até a eleição dá para fingir, depois, a inflação vai acelerar mais e a economia vai estar muito cheia de remendos, gargalos e travas. Mas o importante são as eleições. Como diz a presidenta, pelas eleições a gente faz o diabo.

FN: Mas, se vocês ganharem, a bomba vai explodir no seu colo, em 2015.

M: 2015 ainda está muito longe. Qualquer coisa depois das eleições está muito longe.

FN: Vocês não vão fazer nada para segurar a inflação e estabilizar a economia?

M: Só o que não tirar voto. A presidenta já disse: nós não acreditamos em medidas que afetem a popularidade no curto prazo. Esse tipo de política econômica está ultrapassado.

FN: Então vai ser o caos?

M: Não, o caos não. As pessoas vão perder renda por causa da inflação. E o crescimento baixo não vai ajudar. Mas isso não é o fim do mundo: já aconteceu antes e achamos que é um preço baixo a pagar pela reeleição.

FN: Até porque não são vocês que pagam…

M: Exatamente.

FN: Há alguma diferença entre o que vocês estão fazendo hoje e o que o Delfim fazia na época da inflação?

M: Não. É a mesma coisa. Por isso que a gente se consulta tando com ele. Nós até contratamos uns consultores para escrever artigos na imprensa com “justificativas teóricas” para a nossa política. É bem engraçado ver o tipo de malabarismo que eles fazem. Mas, na prática, eles fazem a mesma coisa que alguns acadêmicos fizeram nos anos 80 para justificar as políticas do Geisel.

FN: Então esses artigos dizendo que está tudo sob controle, que é só esperar que a inflação diminui sozinha…

M: Quem mais escreve essas coisas é um economista nosso que tem uma coluna no Estadão. Outro que escreve é da consultoria do Luciano Coutinho, nosso amigo… Pensamos em chamar gente de fora, mas preferimos ficar com gente em que a gente confia, manter como uma espécie de trabalho interno. Convidei a cabra que está testemunhando a entrevista mas, como boa cabra neo-novo keynesiana, ela não é muito articulada.

Depois da entrevista, o ministro admitiu que ficou espantado por a imprensa reproduzir sua declaração de que daria um Nobel para quem acertasse as previsões que ele errou.

Depois da entrevista, o ministro admitiu que ficou espantado por a imprensa reproduzir sua declaração de que daria um Nobel para quem acertasse as previsões que ele errou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: