O jogo do pato

abril 8, 2013

Inflação é alta generalizada de preços. É quando, como agora, mais de 70% dos produtos que compõem o índice de preços ao consumidor têm aumento.

Quando isso acontece, as pessoas passam a não querer só aumentar o preço do que vendem: elas querem aumentar mais do que os outros estão aumentado. Quem se lembra do começo dos anos 90 sabe disso.

E a pressão por aumentos acima da média aparece até em setores com preços controlados, como o dos planos de saúde.

O Valor de hoje publicou uma bela peça de lobby divulgada pela assessoria de imprensa dos planos de saúde. A matéria, se fosse honesta, teoria o seguinte título: Planos pressionam por aumento 10 pontos percentuais acima de inflação. Como era uma peça de lobby, seu título era: “Custo dispara e desequilibra balanço”.

O texto relata como empresas do porte da Unimed Rio e da Bradesco Saúde estão sofrendo com aumentos em seus custos e tenta mostrar como elas devem repassar esses custos para seus clientes:

“Dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) mostram que os custos médicos nessa categoria [individual] de plano de saúde aumentaram 16,4% no acumulado de 12 meses encerrado em junho do ano passado (…)”

A matéria não diz o que é o IESS, e o site do IESS também não diz o que ele é, nem quem o financia. Mas a mas a matéria diz que: “Em relação aos planos de saúde individuais (cerca de 10 milhões no país), o reajuste ainda não foi definido pela agência reguladora, o que deve acontecer até o próximo mês. Mas ao que tudo indica o aumento deve ser expressivo.”

Matéria oportuna, sem dúvida.

Na corrida por reajustes acima da inflação, quem é mais lento fica para trás. Se você tem plano de saúde, prepare o bolso. Afinal, as seguradoras estão alardeando aumentos de custo e a agência do governo que teoricamente protege o consumidor do oligopólio dos planos foi – nos últimos anos – incrivelmente bondosa (com os planos) e concedeu reajustes bem acima da inflação.

Em alguns setores com preços regulados, os aumentos autorizados pelo governo são iguais à inflação passada menos uma estimativa de ganho de eficiência (capacidade das empresas de reduzir seus custos). Com os planos de saúde é o contrário. A hipótese do regulador é que eles ficarão mais e mais ineficientes, até consumirem toda a renda dos beneficiários (o que com aumentos sempre acima da inflação e com um horizonte de tempo suficientemente longo é matematicamente garantido).

Galinha pintadinha de R$ 159,00. Inflação para todas as idades.

Galinha pintadinha de R$ 159,90: inflação para todas as idades.

Anúncios

Uma resposta to “O jogo do pato”

  1. rmoraes said

    Conversando com amigos da área de saúde descobri quem banca o IESS. Eles me mandaram uma matéria da Agência Brasil, segundo a qual: “O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar é uma entidade sem fins lucrativos que tem o objetivo de promover e realizar estudos sobre saúde suplementar. O instituto é um braço acadêmico das principais operadoras de saúde do país. Suas mantenedoras são Golden Cross, Amil, Bradesco Saúde, SulAmérica, Intermédica e Odontoprev”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: